Mearim Motos

Maranhão vai bem, mas pode afundar com a vinda de Dilma

sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Share/Bookmark
size_810_16_9_dilma
por John Cutrim

O Maranhão teve um saldo positivo de 214 postos de trabalho formais no mês de julho, o que foi o melhor resultado de toda a região Nordeste e o quarto melhor do país. Só que a política de desenvolvimento do estado, geração de emprego e renda do governo Flávio Dino está ameaçada com a notícia de que a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) pode assumir uma secretaria no governo maranhense.

O que é uma possibilidade tenebrosa pode piorar ainda mais se a secretaria a ser chefiada for a de Trabalho e Economia Solidária. É bom lembrar que Dilma deixou o país com 12 milhões de desempregados. Por conta da grave crise econômica e social ocasionada pela incompetência e despreparo de Rousseff, 60 milhões de brasileiros estão com suas contas atrasadas e uma perda média de 5% da renda.

A ‘gerentona’ foi responsável ainda pela inflação em 2015 de 10,6% e nos últimos dois meses a de alimento de 16%.

Nos cinco primeiros anos da então presidente, o Brasil cresceu à média anual de 0,9%, o que coloca a sua gestão como a terceira com pior desempenho desde a proclamação da República em 1889. Segundo estudo de Reinaldo Gonçalves (Universidade Federal do Rio de Janeiro), um esquerdista crítico à gestão do PT, só Fernando Collor de Mello (1990/92) e o marechal Floriano Peixoto, na pré-história do país (1891/1894), tiveram resultados mais desastrosos.

Ao contrário da péssima gestão de Dilma, o comunista Flávio Dino governa bem o Maranhão. O estado está tomado por obras na maioria dos municípios, hospitais e escolas construídas e entregues a cada mês, ações sociais beneficiam milhares de maranhenses alavancando o índice de desenvolvimento humano, salários pagos em dias (quando há estados como Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul parcelando pagamentos). Há avanços também com a inauguração de sistemas de água e índice positivos no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados.

Só que esse cenário otimista e promissor pode mudar com a vinda de Dilma, representante máxima da omissão, descaso e falta de capacidade. Não custa lembrar que quando presidente, nada fez pelo Maranhão. Abandonou o projeto da refinaria da Petrobras em Bacabeira e não fez a duplicação da BR 135, que já ceifou a vida de milhares de maranhenses. Por isso, o melhor mesmo é Dilma ficar longe, mas bem longe daqui.

0 comentários :

Postar um comentário