Denuncie

PEDREIRAS: Casamento em maternidade e solenidade em castelo marcam cerimônia comunitária

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

Share/Bookmark


ogo nas primeiras horas da manhã da última sexta-feira, dia 1º de dezembro, data da cerimônia comunitária da Comarca de Pedreiras, a juíza Larissa Tupinambá, coordenadora da solenidade, foi informada que a noiva Daniele Barbosa (gestante) estava internada em maternidade local, prestes a dar à luz, fato que impossibilitaria sua participação no casamento. Às 15h30, duas horas antes da celebração oficial, o pequeno Juliano Alex nascia, trazendo alegria para pais e familiares. A magistrada, já no local e com a autorização da equipe médica, realizou o casamento da noiva com Francisco Gomes Júnior, que disseram estar duplamente felizes pelas circunstâncias que os levaram a “comemorar, ao mesmo tempo, a união matrimonial e o nascimento do filho”.

A magistrada ressaltou que não pensou duas vezes em se deslocar ao hospital para celebrar a união, “duplamente especial na vida de um casal”. “Acionamos imediatamente a equipe de organização para verificar junto ao hospital a viabilidade de realizarmos o casamento na própria maternidade”, disse a Larissa Tupinambá.

Após o casamento, a magistrada seguiu para o Castelo de Leicam, Centro da cidade, onde 200 casais aguardavam o início da solenidade, que foi aberta oficialmente pela corregedora-geral da Justiça, desembargadora Anildes Cruz, homenageada com uma placa de reconhecimento pelo “grande incentivo” dado ao projeto Casamentos Comunitários”, que durante a atual gestão já uniu mais de 10 mil casais. Os desembargadores Jorge Rachid e Marcelino Everton, presentes ao evento, também foram homenageados, respectivamente, pela criação do projeto que já oficializou a situação matrimonial de mais de 110 mil nubentes; e por ter sido o primeiro juiz titular da Vara da Família da Comarca de Pedreiras.

Os juízes Marco Adriano Fonseca, Artur Gustavo do Nascimento, Ana Gabriela Ewerton, da comarca de Pedreiras; Cristóvão Barros, de Lago da Pedra; Mirella Cézar Freitas, de Itapecuru-Mirim; Joseane Bezerra (3ª Vara da Família); Sara Gama (auxiliar da CGJ-MA); e Helen Maia, de Presidente Dutra, auxiliaram a magistrada Larissa Tupinambá na realização dos casamentos.

“Estamos hoje reunidos para a celebração do amor. Em tempos de tanta cólera e incompreensão, renova a esperança ver este salão florido de pessoas dispostas a dizer sim, sim para uma vida nova, para uma existência compartilhada, num caminho de felicidade e companheirismo”, refletiu a juíza coordenadora e titular da 3ª Vara de Pedreiras, Larissa Tupinambá.

Anildes Cruz agradeceu a deferência recebida, e disse “estar em casa, pois desde o último dia 1º de junho é Cidadã Pedreirense”, em referência ao título concedido pela Câmara de Vereadores local. “Retornamos a Pedreiras em dia de alegria, tanto para nós do Judiciário quanto para todos vocês que vivem um momento ímpar de vossas vidas: a concretização dos sonhos que cada um sonhou”, frisou a desembargadora.

Jorge Rachid agradeceu a desembargadora Anildes Cruz pelo que classificou de “refundação do projeto Casamentos Comunitários”. “Nestes últimos dois anos foram realizadas dezenas de cerimônias do projeto, que levaram os Casamentos Comunitários para todas as regiões do Estado, de Norte a Sul e de Leste a Oeste, por isso, a desembargadora Anildes Cruz merece os nossos aplausos”, disse emocionado o desembargador.

O desembargador Marcelino Everton também agradeceu o reconhecimento e lembrança por sua passagem e atuação na comarca de Pedreiras. “De certa forma, iniciamos lá atrás o trabalho que hoje faz muito bem a Dra Larissa Tupinambá, à frente da 3ª Vara da Família”, agradeceu.

CASAMENTOS – Foram escolhidos quatro casais especiais para representar os noivos da cerimônia. Luís Medrade (47 anos) e Luzinete da Conceição (45), formavam o casal que fez a primeira inscrição para o casamento. Eles disseram “sim” perante a juíza Larissa Tupinambá, e receberam a certidão das mãos da desembargadora Anildes Cruz; já os noivos Ítalo Breno (25 anos) e Joseane de Almeida (28), foram os últimos a se inscrever. O casal, que já mora junto há 7 anos e tem dois filhos, um de 4 e outro de 1 ano de idade, teve a união oficializada pelo magistrado Artur Gustavo, e recebeu a certidão de casamento das mãos da juíza auxiliar da Corregedoria, Sara Gama; o casal formado por José Carlos Romão (83 anos) e Rita Lima (67) representou os noivos com maior idade. A juíza Ana Gabriela fez a união civil do casal, que recebeu, do desembargador Marcelino Everton, a certidão de casamento. José Carlos Ferreira e Francisca da Silva formavam o último casal especial da noite, que foi unido pelo juiz Marco Adriano, e receberam a certidão de casamento do desembargador Jorge Rachid.

Todos os atos do casamento foram gratuitos. O Centro de Referência da Assistência Social de Pedreiras atuou como parceiro do evento, recebeu as inscrições dos casais encaminhando-as, em seguida, ao Cartório do 2º Ofício para formalização dos processos de habilitação. Servidores da Justiça, funcionários do cartório, do Município, e recuperandos da Associação de Proteção e Assistência aos Condenados de Pedreiras (APAC) trabalharam, voluntariamente, na organização do casamento.

CERIMÔNIA – As autoridades adentraram o Salão Principal do Castelo de Leicam com honras militares do Batalhão Tiro de Guerra do Exército Brasileiro (TG 08-008), sob o comando do subtenente Lobato e do major Ricardo de Carvalho, comandante do 19º Batalhão da Polícia Militar em Pedreiras. Após formação do dispositivo de honra, o Coral Municipal “João Menezes” entoou os hinos nacional e municipal, seguido de canções regionais e de autoria do maior artista da Terra, João do Vale. Ao final, cada casal recebeu um minibolo, bem-casados, lembranças, e participaram de sorteio de 80 brindes doados por parceiros do evento, dentre os quais, noites de núpcias em hotel.

Participaram do evento o prefeito de Pedreiras, Antônio França de Sousa, que também casou durante a solenidade; a promotora de Justiça, Hortênsia Cavalcanti; o oficial de Registro Civil, Hermes Nunes da Silva; o padre José Geraldo, da Paróquia São Benedito; o apóstolo Francisco de Lucena Neto, vice-presidente da Associação de Pastores de Pedreiras; e o deputado estadual Vinícius Louro (PR).

PROJETO – Instituído em 1998, pela Corregedoria Geral de Justiça do Maranhão, na gestão do desembargador Jorge Rachid, o “Casamentos Comunitários” é um projeto de cidadania, inclusão e justiça social que já uniu mais de 110 mil casais, dos quais 10 mil na atual gestão da desembargadora Anildes Chaves Cruz, corregedora-geral. Em 2013, na gestão do desembargador Cleones Cunha, o projeto foi reformulado pelo Provimento nº 10/2013, que autorizou a abertura, pelos cartórios, de um livro específico para registro de atos necessários à realização dos “Casamentos Comunitários”.



A imagem pode conter: céu e atividades ao ar livre
A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e área interna
A imagem pode conter: 4 pessoas, pessoas em pé e terno


ATENÇÃO!
Todos os comentários abaixo são de inteira RESPONSABILIDADE EXCLUSIVA de seus Autores(LEITORES/VISITANTES). E não representam à opinião do Autor deste Blog.

0 comentários :