Denuncie

Terrorismo em Lago da Pedra: prefeito estaria usando atualização cadastral para intimidar concursados…

quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018
Compartilhe esta Notícia

Por MARCO AURÉLIO D'EÇA

O decreto assinado por Laércio Arruda
O prefeito de Lago da Pedra, Laércio Arruda, alçado ao cargo pela pré-candidata a governadora do Maranhão, Maura Jorge, se mostra incansável no sonho de ter seu próprio grupo político.
E tem buscado formas de superar a rejeição que sofre no município desde quando rompeu com Maura e se aliou ao governador Flávio Dino (PCdoB).
Sem traquejo político e carisma, Laércio Arruda precisa mostrar votos ao governador e seus candidatos a deputado, principalmente depois que a última pesquisa Exata realizada no município, mostrou que apenas 9% da população o reconhecem como líder político, o que não agradou ao Palácio dos Leões.
Por isso, funcionários municipais denunciam que Laércio Arruda está intimidando a categoria, dos contratados aos concursados, para que sigam sua orientação política.
E para tanto baixou um novo decreto obrigando os servidores a atualizarem seus dados cadastrais nas secretarias, o que está sendo visto como manobra para ter contato direto com os funcionários e obrigá-los a votarem em seus candidatos, sob o risco de serem remanejados para localidades indesejadas.
É o comentário que tomou conta da cidade.
É a segunda atualização cadastral exigida pela Prefeitura de Lago da Pedra em apenas um ano de gestão, o que só aumenta a suspeita da população de que a medida só servirá para retaliação política.
Servidores concursados do município afirmam que comparecerão para o recadastramento munidos de gravadores, e se a intimidação se consolidar denunciarão a prática, inclusive ao Ministério Público.
ATENÇÃO!
Todos os comentários abaixo são de inteira RESPONSABILIDADE EXCLUSIVA de seus Autores(LEITORES/VISITANTES). E não representam à opinião do Autor deste Blog.

1 comentários :

  1. Anônimo disse... :

    No sistema dos vermelhos, é assim que funciona a política, na base da pressão e perseguição, tudo para se manter no no poder.
    Essa, é apenas uma das muitas formas dos comunas fazerem a costura de um chicote para depois açoitar e até disparar chicotadas nos funcionários.